Operação Pecado Capital: Testemunha nega doação a Gilson Moura, mas TSE mostra o contrário

11 de setembro de 2012


O juiz da 2a. Vara Federal, Walter Nunes, no início da audiência desta manhã (11), decidiu por interrogar novamente a testemunha Bruno Rocha, ex-gerente da Platinum Veículos, por conta de incoerências verificadas no interrogatório realizado ontem. As incoerências fazem pairar a suspeita de falso testemunho por parte de Bruno. O novo interrogatório será realizado às 14h de hoje. As incoerências dizem respeito a doações para a campanha do deputado estadual Gilson Moura (PV) em 2010.

A testemunha, Bruno Rocha, garantiu ontem que não havia feito doações para a campanha do deputado estadual Gilson Moura. Contudo, o próprio juiz federal Walter Nunes verificou, ao consultar o site do Tribunal Superior Eleitoral, que Bruno Rocha realizou quatro depósitos como financiamento para a campanha de 2010. "Frente a isso ou a testemunha mentiu ou o site do TSE está com informações equivocadas", disse o magistrado. O uso da força policial foi autorizado caso a testemunha demonstre resistência em comparecer à Justiça Federal.

0 comentários:

 
De olho no discurso © 2012 | Designed by Bubble Shooter , in collaboration with Reseller Hosting , Forum Jual Beli and Business Solutions