Furo do Estadão foi barriga

9 de janeiro de 2013

http://www.brasil247.com/+7zwyt

Em nota oficial, procurador-geral da República nega que tenha encaminhado pedido de investigação contra ex-presidente Lula ao Ministério Público Federal; decisão é esperada, mas ainda não aconteceu; jornal O Estado de S.Paulo, que achou ter dado furo em hiper manchete, produziu uma barriga histórica; nota diz que Gurgel sequer "iniciou a análise do depoimento de Marcos Valério".

No jargão do jornalismo, furo é a notícia importante dada com exclusividade. Barriga é o inverso: um erro de grandes proporções. Foi o que o jornal O Estado de S. Paulo cometeu em sua edição desta quarta-feira 9, ao noticiar com estardalhaço que o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, teria decidido pedir uma investigação ao Ministério Público Federal contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A base seria um depoimento do empresário Marcos Valério à Procuradoria Geral da República, publicado antes pelo mesmo jornal.

Ao contrário do que disse a reportagem, Gurgel informou em nota nesta manhã que, ao contrário de ter concluído, sequer iniciou a investigação sobre as declarações de Valério. "Ao contrário do que foi publicado nesta quarta-feira, 9 de janeiro, pelo jornal O Estado de São Paulo, a Secretaria de Comunicação do Ministério Público Federal informa que o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, ainda não iniciou a análise do depoimento de Marcos Valério, pois aguardava o término do julgamento da AP 470 (mensalão). Esclarece ainda que somente após a análise poderá informar o que será feito com o material. Portanto, não há qualquer decisão em relação a uma possível investigação do caso", informa o órgão.

O procurador havia dito nesta terça-feira que provavelmente enviaria o caso à primeira instância, já que Lula não tem mais direito a foro privilegiado, de acordo com reportagem da Folha de S.Paulo. Mas o Estadão confirmou a decisão de Gurgel. Também nesta manhã, a colunista do jornal O Globo Miriam Leitão negou a informação do jornal, dizendo que encontrou por acaso o procurador em Brasília e que ele informou que não tinha tomado decisão sobre o caso ainda. De acordo com Marcos Valério, Lula teria tido despesas pagas com dinheiro do chamado 'mensalão'.

0 comentários:

 
De olho no discurso © 2012 | Designed by Bubble Shooter , in collaboration with Reseller Hosting , Forum Jual Beli and Business Solutions