Vídeo de Henrique na campanha de 2012 ganha destaque na Folha

22 de janeiro de 2013

Vídeo divulgado sábado pelo blog foi gravado em comício em São José do Mipibu..

http://www1.folha.uol.com.br/fsp/poder/89862-em-video-favorito-a-camara-faz-criticas-a-dois-ministros-de-dilma.shtml

Em vídeo, favorito à Câmara faz críticas a dois ministros de Dilma
Henrique Alves diz que titulares da Saúde e das Cidades só recebem prefeito que tenha aliado poderoso

Gravação ocorreu em discurso nas eleições de 2012; deputado afirma que campanha está 'cada vez melhor'

Em comício no ano passado, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN) discursou no Rio Grande do Norte já se dizendo presidente da Câmara e acusou dois ministros do governo Dilma de só receber prefeitos que tenham padrinhos políticos poderosos.

A eleição para o comando da Câmara ocorre no próximo dia 4. O deputado é o favorito por ter o apoio de Dilma e, entre outros, dos dois partidos aos quais pertencem os ministros a quem fez críticas, o PT de Alexandre Padilha (Saúde) e o PP de Aguinaldo Ribeiro (Cidades).

O vídeo amador, que está na internet, foi feito em São José de Mipibu (RN) em setembro, quando o deputado declarou apoio ao candidato a prefeito do PMDB, Arlindo Dantas, que se elegeu.

No comício, Alves afirma que o prefeito só será recebido por ministros em Brasília por estar de "braço dado" com ele, o "presidente da Câmara dos Deputados". E faz um convite. "Quero convidar você para no dia 1º de fevereiro comparecer a Brasília como prefeito eleito para minha posse como presidente da Câmara dos Deputados."

Alves diz, no comício, que vai contar duas histórias "reais" sobre o desprezo de ministros com prefeitos.

O primeiro citado é Padilha. "Arlindo, prefeito, vai a Brasília no mês de março para o Ministério da Saúde. O ministro chama-se Alexandre Padilha. Aí vai, entra no ministério, pega o elevador, procura a secretária", afirma.

E continua: "Aí o ministro vai dizer, que é o que eles dizem, que eu sei, e eles sabem que eu sei, porque há 42 anos estou lá, e ele vai dizer: 'Assessor, manda o prefeito Arlindo se sentar, lá numa sala, dê um cafezinho a ele, um copinho da água. Quando eu puder, vou recebê-lo'".

Segundo Alves, Padilha só aceitaria receber o prefeito se soubesse que ele tem o apoio do ministro da Previdência, Garibaldi Alves Filho (PMDB-RN), primo e aliado do deputado. "Aí quero ver se o ministro não diz: 'Chama logo esse Arlindo aí."

O deputado então diz que o mesmo vai ocorrer na pasta de Aguinaldo Ribeiro. "Aí Arlindo sai, vai lá no Ministério das Cidades, atravessa a rua, o ministro é deputado federal, meu colega, lá da Paraíba. Ministro Aguinaldo [...]. Aí o ministro vai dizer: 'Manda ele esperar'."

Henrique Alves repete que o prefeito só será recebido porque tem o apoio do futuro presidente da Câmara -ele próprio, afirma.

"Aí o assessor vai dizer: 'Ministro, só tem um probleminha [...], só tem uma coisinha que o senhor precisa saber: quem está de braço dado com ele, e este está mesmo, é amigo do peito dele, é o presidente da Câmara dos Deputados do Brasil'."

Por meio da assessoria, Henrique Alves disse apenas que "apoiar Estados e municípios em seus pleitos é uma obrigação de todo parlamentar, em qualquer tempo".

O ministro Alexandre Padilha disse que não iria se manifestar. Aguinaldo Ribeiro (Cidades) não respondeu até a conclusão desta edição.

Alves disse ontem em Brasília que sua campanha para a presidência da Câmara "está cada vez melhor".

O peemedebista ganhou o apoio do deputado Ronaldo Fonseca (PR-DF) que anunciou sua saída da disputa pelo comando da Câmara.

0 comentários:

 
De olho no discurso © 2012 | Designed by Bubble Shooter , in collaboration with Reseller Hosting , Forum Jual Beli and Business Solutions