Aos que acordaram há sete dias

21 de junho de 2013

Daniel Araújo Valença
Professor de Direito da Universidade Federal Rural do Semiárido, doutorando em Direitos Humanos pela UFPB, militante do Partido dos Trabalhadores desde 2003.

Aos que acordaram há 7 dias
Acabo de ouvir Datena – aquele que manipulou descaradamente uma enquete e prega o ódio no cotidiano do seu programa -  e Merval  -aquele que faz parte das organizações Globo – que apoiou a ditadura e foi contra as Diretas Já – dizerem que partidos foram hostilizados porque tentaram tomar para si um ato que não é deles e que eles não representam mais a ninguém. A mídia que há 7 dias defendia em seus editoriais o uso da força contra os atos agora tenta leva-los contra os partidos, organizações, contra o governo e a democracia.
Afirmo, então, aos meus colegas de Natal que acordaram há 7 dias: há 10 anos, nós, militantes do PT, PSTU e demais partidos de esquerda, estávamos nas ruas de Natal por longos TRÊS meses tocando fogo na BR em frente ao Natal Shopping para garantir a manutenção da meia-passagem e a derrubada da Lei Pio Marinheiro.  Apanhamos em pleno dia 31 de dezembro em frente à Câmara, num dia em que o efetivo policial ultrapassou o de manifestantes. Estivemos mais de um mês nas ruas e derrubamos várias das emendas na revisão do Plano Diretor, na conhecida Operação Impacto. Estivemos na Ocupação da Câmara, lá ficamos por 11 dias e foram os advogados filiados ao PT e PCdoB que conquistaram as sentenças favoráveis à nossa ocupação. Estivemos ano passado na Revolta do Busão, e foram os membros da juventude do PT e do PSOL que, enquanto advogados, estavam na delegacia até as 5hrs da manhã acompanhando os detidos e todo o resto do processo judicial. Foram os nossos militantes que conquistaram a tutela antecipada que garantiu a circulação dos ônibus no ato de hoje, bem como a liminar no STJ para manter a ocupação das ruas. 
E nós fomos escorraçados. Em Natal, no Rio, em São Paulo e em quase todas as cidades militantes foram violentamente agredidos, hospitalizados, por fazerem o que sempre fizeram: lutar nas ruas para mudar este país oligárquico, brutalmente desigual, desumano. A mídia empresarial omite o que realmente está acontecendo nas ruas deste país. Vocês, que acordaram há 7 dias, ou um pouco mais, e compactuam ou praticam estes atos, saibam que isso é Facismo. Não tenham dúvidas, sempre apanhamos da polícia, não será agora que teremos medo. Vocês que nunca se filiaram nem participaram de movimentos sociais – também agredidos hoje em todo o país -, NÃO SE DEIXEM ENGANAR. São muitas coisas estranhas em tão pouco tempo – inflação armada, latifundiários bloqueando BRs,  comissão especial de deputados e senadores regulamentando eleições em caso de vacância do Presidente da República, polícia de São Paulo permitindo a quebradeira geral de sua prefeitura, dentre outros – que nos levam a crer que algo errado há no ar. 
Em um continente vítima de dois golpes de Estado em menos de 5 anos, não pela tomada pelas forças armadas mas pela criação de instabilidade política e descrédito na democracia, deixamos bem claro aos fascistas: NÃO PASSARÃO. 


0 comentários:

 
De olho no discurso © 2012 | Designed by Bubble Shooter , in collaboration with Reseller Hosting , Forum Jual Beli and Business Solutions