#RevoltadoBusao e as reviravoltas midiáticas

21 de junho de 2013

Publicado originalmente no No Minuto

O trecho abaixo pertence a um artigo que eu e a professora Maria das Graças Pinto, da UFRN, escrevemos para um livro que sairá no mês de setembro. Ele foi finalizado em abril. Nele analisamos o #ForaMicarla e a #RevoltadoBusao.

Para que a gente não esqueça:


Durante os episódios da #RevoltadoBusão a mídia como um todo agiu no sentido de criminalizar os manifestantes - principalmente classificando-os como vândalos. É nesse sentido que se destaca texto publicado pelo blogueiro Bruno Giovanni, do Blog do BG (http://blogdobg.com.br), atualmente o espaço de informações mais influente da Internet em Natal
O título do post já anuncia sua posição negativa sobre os protestos: “Os transtornos valem a pena?” Quer dizer, os protestos já são, de antemão, vistos pelo prisma do transtorno.
O texto foi publicado no dia 3 de setembro, depois dos dois primeiros protestos, e está repleto de tentativas de qualificar negativamente as ações de rua. Ao relatar o primeiro protesto, de 29 de agosto, o blogueiro vaticina que um “verdadeiro caos foi instalado”. E aprova a ação do batalhão de choque: o caos “foi encerrado após um confronto com policiais militares” que, ao ver do blogueiro, reestabeleceram a ordem da cidade.
Ao se referir ao segundo protesto, Bruno Giovanni afirma que os jovens “terminaram protestando para o vento”. E para “não ficarem esquecidos”, os manifestantes, segundo o texto, decidiram “iniciar uma verdadeira peregrinação pelas ruas de Natal”. A conclusão não podia deixar de ser negativa, uma vez que o objetivo é enquadrar o protesto em uma moldura desqualificadora: “Trânsito, transtorno, estresse, caos, atrasos, só que dessa vez generalizado”.
As qualificações utilizadas pelo Blog do BG para se referir aos protestos da #RevoltadoBusão constroem unicamente uma imagem caótica gerada pelas manifestações: todas elas giram em torno da ideia de que as ações de rua geram caos generalizado e que a intervenção policial serve para restaurar a ordem e trazer a tranquilidade à cidade. Ao se referir aos protestos, o blog destaca “algumas badernas, atos de vandalismsos, dos confrontos com a Polícia, da tentativa de impedir o trabalho jornalístico dos veículos de comunicação, das hostilidades praticadas contra quem tentava furar o protesto, e de tudo o que houve de ilegal”. E completa dizendo que a “bagunça” tomou conta das ruas de Natal e deixa claro que compreende que o jovem deve ser despolitizado, uma vez que crê que seu único compromisso deve ser com o estudo.
Esse enquadramento adequa-se não apenas à posição da mídia oficial ou convencional. Relaciona-se, com clareza, à postura midiática global contra as ações de rua. Se os protestos do #ForaMicarla e da #RevoltadoBusão fazem questão de enfatizar suas relações globais com movimentos semelhantes ao redor do mundo, tanto a repressão policial quanto o enquadramento midiático sobre as ações do movimentos também se filiam da mesma forma ao que ocorre em outras partes do planeta.
Para completar, Bruno Giovanni ainda quer fazer descrer da relevância do impacto que o aumento autorizado, que marjoraria as passagens em vinte centavos, teria sobre as contas dos usuários de ônibus:
Vejam bem: as passagens de ônibus em Natal aumentaram R$ 0,20. Estudantes pagam meia, ou seja, o aumento real pra eles foi de R$ 0,10. Isso mesmo! Pode ler: dez centavos. Considerando que um estudante gasta duas passagens por dia, uma para ir para casa e outra para voltar, lá se vão R$ 0,20 de aumento por dia. Considerando-se 30 dias do mês, temos um aumento de R$ 6 por mês. Por causa de R$ 6 por mês toda a sociedade tem que ser penalizada? Porque não protestar contra as pessoas certas? Contra os verdadeiros responsáveis pelo aumento? Será que um protesto que provoca prejuízos diretos e indiretos a toda uma sociedade vai fazer os verdadeiros responsáveis por esse aumento voltarem atrás?

Aí o tempo passa. A Globo compra a pauta dos protestos contra os aumentos de ônibus - e eles caminham para pautas difusas e catárticas que atingem o governo e o Estado brasileiro. Algo como 20 mil pessoas talvez ocupam as ruas de Natal na maior manifestação da qual eu tenho notícia. Convocada pela mesma #RevoltadoBusao - mas sequestrada pela extrema direita com muitos indícios golpistas.
Como trata o novo protesto o mesmo blog?
O movimento realizado ontem em Natal apesar de toda balbúrdia feita pelos maus elementos foi muito mais positivo. Famílias inteiras e a emoção de todos cantarem o nosso hino juntos vão ficar marcados. A PM estimou 15 mil pessoas reunidas.
O que mudou?

0 comentários:

 
De olho no discurso © 2012 | Designed by Bubble Shooter , in collaboration with Reseller Hosting , Forum Jual Beli and Business Solutions