Roleta russa no Walfredo Gurgel

30 de março de 2014

Por Hausemann Morais
Ortopedista

Antes de iniciar esse breve relato gostaria de deixar claro que sou apartidário e não o faço com qualquer intenção politica. Sou ortopedista formado na UFRN há 08 anos, ortopedista há 04 anos. Apesar de parecer uma carreira curta já fui plantonista de diversas emergencias em Pernambuco, atualmente em Natal-RN, cidade menor do que Recife, mais traquila, com regiao metropolitana com populaçao quatro vezes menor do que a da capital pernambucana. Morar em Recife não foi fácil pois aquela cidade já nos oferece todos os problemas de uma cidade grande, violencia nas ruas, no transito, superlotacao hospitalar, subfinanciameno do SUS, etc. Já fui plantonista nas maiores emergencias do estado pernambucano e vos asseguro, achei que ja tinha visto de tudo. Mas  mesmo com as dificuldades inerentes a saúde, nunca tive medo que me faltasse atendimento numa eventual emergencia. Hoje, morando em Natal, venho testemunhando há anos situaçoes no minimo absurdas: falta de fixador externo, falta de gases, falta de luvas, falta de fios de aço, falta de vagas de uti, tanta coisa e ainda ter que ver mentiras na TV para disfarçar ou maquiar o caos. Ontem 29/03/2014 durante mais um plantão no Hospital Walfredo Gurgel, aconteceu algo que extrapola o absurdo, nao tenho definição para isso ainda. Atendi, prontamente, um paciente com uma grave lesao no joelho, uma luxacao exposta, sem pulso. Pedi a enfermeira do centro cirurgico para entrar em contato com o cirurgião vascular e iniciei o procedimento. Foi colocado um fixador externo para estabilizar as  articulações envolvidas. Em minutos a enfermeira informa que NÃO HÁ vascular na escala. O hospital walfredo gurgel, único hospital do estado que poderia atender um politraumatizado em sua plenitude, não dispunha de cirurgia vascular. Amigos, além de termos de lidar com a falta de salas de cirurgia o suficiente para atender a demanda do estado inteiro, nos deparamos com a situaçao de  precisarmos de cirurgião vascular e simplesmente é confirmado que não há. E agora? Solicitei que o paciente fosse removido para outro estado, o que me foi informado que não seria possivel, pela própria direção. Talvez os senhores nao tenham  dado conta da gravidade sobre a que ponto chegou a saúde do RN. Eu temo! Por mim, por meus familiares, por meus amigos e pelos meus futuros pacientes. Temo muito! Somos expostos a essa roleta russa da violência das ruas e a qualquer momento podemos ser vítimas dessa roleta russa da saúde do RN. E se você tem seu plano de saúde e acha que isso tudo não é com você, esta enganado. No RN não há um pronto-socorro com equipe de politrauma para atendimento emergencial disponivel nos hospitais privados. Somente o Hospital Walfredo Gurgel dá condições de te retirar de um risco iminente de morte numa situção de agravo: acidente ou agressão. Corrigindo, não da mais condições. Agora está assim. Salve-se quem puder. Cuidado! Redobrado! Afinal você está no RN, a próxima vítima desse caos pode ser você. A Copa? Não se preocupem, não vai faltar nada. Mas a Copa acaba em junho e a roleta volta a girar...

0 comentários:

 
De olho no discurso © 2012 | Designed by Bubble Shooter , in collaboration with Reseller Hosting , Forum Jual Beli and Business Solutions